Osteoporose

A Doença

A osteoporose é uma doença na qual temos uma diminuição da resistência óssea que leva ao aumento do risco de fratura.

Nos nossos ossos existe um ciclo constante de reabsorção de osso velho e formação de osso jovem. Esse ciclo é chamado de "ciclo de remodelação óssea".

O ciclo normal da remodelação óssea é um equilíbrio entre duas células especiais que trabalham juntas para manter os ossos resistentes – os "osteoclastos" e os "osteoblastos". Os osteoclastos reabsorvem o osso velho, deixando buracos. Os osteoblastos, por sua vez, preenchem esses buracos com osso novo. Após a menopausa, o ciclo de remodelação óssea se altera, havendo mais reabsorção do que formação óssea. Isso resulta em óssos mais frágeis e propensos a fraturas. Essa situação é conhecida como osteoporose.

Os osteoclastos começam a reabsorver osso mais rápido e os osteoblastos não conseguem preencher os buracos que estão sendo formados. O resultado é que o osso se torna fino e frágil, levando a um aumento no risco de fraturas.

Causas

Causas Primárias

Osteoporose pós menopausa - o estrogênio é um hormônio importante na fisiologia óssea, pois é um dos principais responsáveis pela formação de osso novo. Na menopausa, a produção do estrogênio se reduz, fazendo com que a reabsorção óssea seja maior que a formação de osso novo. Essa situação favorece o desenvolvimento da osteoporose. A menopausa é a causa mais comum de osteoporose..

Osteoporose senil é aquela que aparece com o envelhecimento normalmente em homens e mulheres com mais de 70 anos.

Causas Secundárias

As causas mais comuns de osteoporose secundária estão relacionadas ao uso de medicamentos, como glicocorticoides e anticonvulsivantes. Outras doenças podem causar osteoporose, entre elas doenças hormonais (endócrinas), renais (insuficiência renal crônica) e oncológicas.

Sintomas

A osteoporose é frequentemente considerada uma "doença silenciosa" porque as mulheres podem ter poucos sintomas ou podem não reconhecer os sintomas da osteoporose.
A perda de mineral dos ossos não provoca um sofrimento evidente. A maioria dos pacientes não é diagnosticada durante as primeiras fases silenciosas desta condição, que é a fase onde as intervenções oferecem o maior potencial para uma prevenção real. Mesmo com uma fratura vertebral, uma mulher pode não atribuir seu desconforto a um "osso quebrado", mas a outra doença crônica, como a osteoartrite, espasmo muscular ou dor na porção inferior das costas. Entretanto, no momento em que ocorre uma fratura, normalmente existe uma perda de resistência óssea em todo esqueleto.

Diagnóstico

O exame que é utilizado para fazer o diagnóstico da osteoporose é a Densitometria óssea.
Neste exame é avaliado o conteúdo de cálcio presente no seu osso, e com base no comparativo com a população normal, chega-se ao diagnóstico.

Para informações quanto ao tratamento de osteoporose, acesse:

  • Sociedade Brasileira de Endocrinologia - www.endocrino.org.br
  • Socieda de Brasileira de Reumatologia - www.reumatologia.com.br
  • Sociedade Brasileira de Densitometria Óssea - www.sbdens.org.br

Referências

  • Castro, ML. Osteoporose. Cap 25 pag- 477-492. In: Saad, MJA; Maciel,RMB; Mendonça,BB. Endocrinologia-1edição.2007, editora Atheneu, São Paulo.