Câncer de Pulmão

A Doença

O câncer de pulmão é o mais comum de todos os tumores malignos (1,4 milhão de novos casos de câncer pulmonar/ano) e a principal causa de mortalidade relacionada ao câncer (1.179.074 mortes/ ano) (1). O câncer pulmonar de células não pequenas (NSCLC) soma aproximadamente 85% de todos os cânceres de pulmão para o propósito de avaliação e tratamento. O INCA estima que em 2011 cerca de 27 mil pessoas Foram diagnosticadas com câncer de pulmão no Brasil, também o tipo que mais mata pessoas no país ((2).

O tumores malignos do epitélio pulmonar, do ponto de vista anatomo-patológico, são classificados em 2 tipos principais (3):

A. Pequenas células
B. Não-pequenas células (85%)

O tumor de células não-pequenas corresponde a um grupo heterogêneo composto de três tipos histológicos principais e distintos: carcinoma epidermóide, adenocarcinoma e carcinoma de grandes células, ocorrendo em cerca de 75% dos pacientes diagnosticados com câncer de pulmão. Dentre os tipos celulares restantes, destaca-se o carcinoma indiferenciado de células pequenas, com os três subtipos celulares: linfocitóide (oat cell), intermediário e combinado (células pequenas mais carcinoma epidermóide ou adenocarcinoma) (3).

Causas

Associação causal entre tabagismo e câncer de pulmão. Em 90% dos casos diagnosticados, o câncer de pulmão está associado ao consumo de derivados de tabaco (4).

Fatores de risco primários relacionados ao tabaco:

  • tempo de exposição(quantos anos de tabagismo);
  • número de cigarros por dia;
  • idade do início do hábito de tabagismo;
  • tipo de cigarro fumado;
  • profundidade de inalação;
  • história familiar de câncer de pulmão;
  • susceptibilidade a mutações ao acaso.

Os fatores de risco secundários:

  • exposição a radiações ionizantes;
  • fumantes passivos;
  • riscos ocupacionais(asbestos-amianto);
  • Influência de presença de vírus de HPV no tecido tumoral.

Prevenção

Uma vez que o consumo de derivados do tabaco está na origem de 90% dos casos, independentemente do tipo, não fumar é o primeiro cuidado para prevenir a doença. A ação permite a redução do número de casos (incidência) e de mortalidade. Comparados com os não fumantes, os tabagistas têm cerca de 20 a 30 vezes mais risco de desenvolver câncer de pulmão. Em geral, as taxas de incidência em um determinado país refletem seu consumo de cigarros.

Manter alto consumo de frutas e verduras é recomendado. Deve-se evitar, ainda, a exposição a certos agentes químicos (como o arsênico, asbesto, berílio, cromo, radônio, urânio, níquel, cádmio, cloreto de vinila, gás de mostarda e éter de clorometil), encontrados principalmente no ambiente ocupacional.

Exposição à poluição do ar, infecções pulmonares de repetição, deficiência e excesso de vitamina A, doença pulmonar obstrutiva crônica (enfisema pulmonar e bronquite crônica), fatores genéticos (que predispõem à ação carcinogênica de compostos inorgânicos de asbesto e hidrocarbonetos policíclicos aromáticos) e história familiar de câncer de pulmão favorecem ao desenvolvimento desse tipo de câncer.

Sintomas

Os sintomas mais comuns do câncer de pulmão são a tosse e o sangramento pelas vias respiratórias. Nos fumantes, o ritmo habitual da tosse é alterado e aparecem crises em horários incomuns para o paciente. Pneumonia de repetição pode, também, ser a manifestação inicial da doença (4).

Diagnóstico

A maneira mais fácil de diagnosticar o câncer de pulmão é através de raio-X do tórax complementado por tomografia computadorizada. A broncoscopia (endoscopia respiratória) deve ser realizada para avaliar a árvore traquebrônquica e, eventualmente, permitir a biópsia. É fundamental obter um diagnóstico de certeza, seja pela citologia ou patologia.

Uma vez obtida a confirmação da doença, é feito o estadiamento, que avalia o estágio de evolução, ou seja, verifica se a doença está restrita ao pulmão ou disseminada por outros órgãos. O estadiamento é feito através de vários exames de sangue e radiológicos, como dosagens enzimáticas e ultrassonografia, respectivamente (4).

REFERÊNCIAS

  1. Kamangar F. Patterns of Cancer Incidence, Mortality, and Prevalence Across Five Continents: Defining Priorities to Reduce Cancer Disparities in Different Geographic Regions of the World. Journal of Clinical Oncology. 2006 maio 10;24(14):2137–50.
  2. INCA - CÂNCER - Tipo - Pulmão [Internet]. [citado 2012 abr 25]. Available de: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/pulmao
  3. Brambilla E, Travis WD, Colby TV, Corrin B, Shimosato Y. The new World Health Organization classification of lung tumours. European Respiratory Journal. 2001 dez 1;18(6):1059–68.
  4. INCA - CÂNCER - Tipo - Pulmão [Internet]. [citado 2012 abr 25]. Available de: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/pulmao